Autoconhecimento

"Reconecte-se a sua verdadeira essência"

 

Autoconhecimento

Você ja se questionou sobre o que veio fazer no mundo
"Aprenda como conhecer a si mesmo"

Um mergulho profundo no seu eu interior é a arma mais poderosa para uma vida mais plena e completa.

O processo do autoconhecimento é essencial para a evolução e aprendizagem em diferentes áreas da vida! Quanto mais nos conhecemos mais temos condições de discernir sobre qualquer situação que a vida nos apresente. Além disso, ganhamos autonomia para bancarmos nossas escolhas e as consequentes renúncias. Somos instigados à questionamentos sobre nós mesmos e nosso papel, a fim de nos tornarmos cada dia melhores e confiantes para desenvolver e executar sonhos, planos e metas, descobrindo qualidades, habilidades e valores.Além é claro, de sermos capazes de reconhecer o que precisa ser melhorado e ter forças para executar essa tarefa, muitas vezes dolorosa.

Quem sou eu? Já nos perguntamos isso várias vezes. Qual é minha missão na vida? Qual é o meu lugar? Às vezes achávamos ter isso claro. Em momentos de crise, a escuridão volta e nós nos perdemos. Sempre temos de voltar ao essencial. Recordar que somos únicos e insubstituíveis.

Proposito de Vida

Quem não tem algo para acreditar ou aquela vocação que faz seu coração bater mais forte, anda pela vida perdido. Muita gente inclusive entra em depressão por não ter certeza de qual é o seu motivo para viver. Apesar disso, descobrir seu propósito de vida nem sempre é muito fácil.

Não se trata apenas de descobrir sua vocação, quem é você ou aquilo em que você é bom. Descobrir seu propósito de vida é muito mais que isso. É descobrir aquilo que há de mais profundo na sua identidade e que tipo de marca pretende deixar neste mundo.

Nosso propósito de vida é a lembrança de quem somos e do impacto que causamos no Universo. Está relacionado aos nossos talentos, ações, objetivos, sonhos e aspirações mais profundas.

A vida tem um propósito, e todos os acontecimentos nela contêm lições importantes a serem aprendidas. Para isso, é necessário estarmos conscientes, abertos e serenos para "enxergar" e aceitar o que ela vem nos mostrar.

Por que a maioria não lembra do seu propósito

Quando uma criança nasce, ela lembra do que veio fazer neste mundo.  Até o início da juventude, carrega fortemente os anseios e sonhos que são expressões desse propósito.  Aos poucos, porém, vai se esquecendo e acreditando nas vozes externas que insistem em dizer que esse sonho é impossível de ser realizado, que esse caminho não é bom ou  que não tem capacidade para isso. Em certo momento, ela acaba cedendo a essas vozes até desistir e se esquecer completamente do que alimenta seu coração e passa a sonhar o sonho dos outros.

A fundação da personalidade acontece nos primeiros sete anos de vida. Algumas aquisições podem acontecer nos anos seguintes, mas a base é feita nesse período inicial. Em razão disso, as crenças instaladas nesse momento vão influenciar a vida como um todo.Se já teve a oportunidade de acompanhar o crescimento de uma criança, fica fácil de entender esse fato. A criança que ainda não foi contaminada pela crença dos adultos simplesmente segura na mão deles, sem saber sequer para onde a estão levando. Contudo, aos poucos, ela deixa de confiar. Começa a ser atingida tanto pelo medo na forma da desconfiança e da insegurança, e quanto pelo ódio na forma da raiva e da vingança.  

A propósito, por que isso acontece?

Porque ensinam isso para ela. Desde cedo, a criança aprende que é uma vítima das circunstâncias externas e com isso também aprende que precisa se defender.   Assim, vai criando os diversos mecanismos de defesa e adquirindo crenças e condicionamentos limitantes. Tais mecanismos são limitantes, porque, ao mesmo tempo em que servem para proteção, geram separação e esquecimento. Os muros que geram proteção são os mesmos que geram isolamento no mundo.

Somos todos cobradores

Somos cocriadores da realidade,  por isso temos a oportunidade de mudar e de fazer escolhas diferentes todos os dias. Por mais complicadas e desafiadoras  que pareçam as situações que vivemos podemos escolher reagir de forma diferente a cada momento. Somos responsáveis por tudo que nos acontece,  cocriamos nossa realidade o tempo todo, mas, por muitas vezes, não nos damos conta de que estamos presos a padrões, crenças, pensamentos e emoções aprendidas no passado, que podem nos manter limitados e presos a uma determinada realidade como se vivêssemos em um looping.

Voz interior

Num mundo tão conturbado, por vezes, é difícil lembrar que nosso espírito também precisa de cuidados. A violência, a insegurança, o medo, isso nos faz entrar em conflitos com nossos irmãos e, às vezes, até com nós mesmos. É necessário, em meio a todo o barulho que há lá fora, silenciar para ouvir a voz de dentro. A voz que nos diz que é preciso paz para haver felicidade, que devemos nos aceitar e respeitar uns aos outros, com nossos defeitos e diferenças. A voz que quer guiar cada um de nós a um caminho de luz. Ouça a sua voz interior hoje.

Descobrindo o Eu Interior

Em nossa correria do dia a dia, em que somos levados a agir e pensar na frequência de um relógio controlador, pouco tempo nos sobra para refletirmos sobre o porquê de muitas de nossas ações, emoções, sensações, e respostas imediatas. Não temos o hábito do pensamento equilibrado, e isso é fator para a falta de paciência que sentimos na relação com o outro e até conosco. Não entendemos nossos sentimentos, e não nos damos conta de que a resposta para muitas de nossas dúvidas está dentro de nós mesmos.

Talvez a pergunta mais fundamental de toda a história do pensamento humano é: “Quem sou Eu?”.

Entre inúmeras respostas surge o: eu filho, eu esposa, eu amigo, eu vizinha, eu leitora, eu trabalhador, etc. Com tantas possibilidades de Eu, as opções se tornam quase  esmagadoras diante de uma simples pergunta direta: “Quem sou Eu”? Ao nos depararmos com essa infinidade de respostas, podemos nos perder na imensidão do que nos é colocado como sendo o “correto Eu”  e o que sentimos em nosso interior como identidade. 

Ao começarmos essa jornada interior do autoconhecimento, nos deparamos de inicio com uma caverna escura, húmida e ampla, onde perdemos o sentido de direção, e tudo fica confuso. Verdades que antes eram tomadas como certas, ja não exibem tanta rubustes intelectual diante das incertezas dessa caverna. Não podemos mais contar com a luz de outras pessoas ou pela forma projetada com que outros nos idealizam. Ali, sentados na escuridão, é onde começa o encontro com nosso Eu.

Conheça-te a ti mesmo Sócrates


O que significa ir para o seu Interior?

Ir para o seu interior significa simplesmente estar com você mesmo, ouvir a si mesmo e seu EU superior, sentir a mente se acalmar e limpar a desordem, permitindo mais espaço para os pensamentos superiores se introduzirem no seu ser.

É importante olhar nosso interior, conhecer nossa alma e nossa história, nossas paixões e sonhos, nossa sede, nossas feridas e limitações, nossos dons.

Aprenda como sair do piloto automático e ter um propósito de vida.

Quando você se dá conta, já é hora do almoço, do jantar e de dormir. E, assim, acabam-se os dias, semanas, meses e anos. E as promessas de ano novo vão se renovando a cada ciclo e, cada vez mais, vão perdendo o sentido. Afinal, mesmas ações, mesmos resultados.

É preciso dar uma sacudida, mudar o pensamento e sair do piloto automático! Ninguém vende promessas de sucesso fácil, mas quem se propôs a essa mudança diz, apenas, que vale a pena. É hora de transformar a mentalidade, partir em busca da atenção plena, sair do piloto automático e, consequentemente, encontrar um propósito de vida. Quando isso acontece, tudo flui com mais naturalidade, encontramos o sentido da própria vida e, principalmente, vivenciamos a paz interior. Todos os preceitos para uma vida plena e feliz começam a fazer parte dos nossos dias. Se você chegou até aqui, é porque está disposto a mudar essa situação.

Aqui você vai encontrar conteúdos para auxiliar nesse caminho como Reiki, Cura pela Hipnose, Meditação , Terapia do Renascimento, Terapia dos Sonhos, Regressão entre outros!

Karma e Dharma

"O Destino e o Livre arbitrio"

Muitas vezes tendemos a culpar o destino pelos rumos de nossas vidas e esquecemos que todo o caminho que percorremos é trilhado única e exclusivamente por nós. Como maior prova de amor e benevolência divina é que, mesmo diante de designações ou missões a cumprir em Terra, cabe a nós aceitarmos e seguirmos ou não, por mais importante que esta seja.

Responsáveis pelas consequências dos nossos próprios atos, arcar e conviver com as escolhas que fizemos é uma das maiores dádivas que podemos receber: a liberdade. O uso dessa liberdade é o que nos leva a uma vida de angústias ou iluminação pois, quando a usamos em decisões equivocadas sem admitir que agimos contra o caminho da luz, o sentimento de frustração é imediato, diferente da paz que se encontra ao aceitar suas atitudes.  

Lembre-se: é você quem dá as rédeas de seu próprio destino, interligando sua missão na terra ao peso de suas ações.

Dharma é uma modificação do karma, isto é, podemos desenvolver nossos dons e qualidades para modificarmos os karmas existentes, portanto, é preciso que nos libertemos de nosso passado, digamos assim. passado negativo para que possamos acionar nosso Dharma. Por isso, estamos aqui no planeta Terra com a finalidade de evoluirmos nosso espírito.

O Dharma é uma das metades desse mesmo princípio, representando o caminho da verdade e a lei natural; como uma zona onde a luz flui naturalmente e trilha o caminho da virtude. O Dharma é como entendemos o destino ou nossa missão na terra, e vive-lo é seguir o caminho indicado pelo universo.

Àquele que segue seu Dharma encontra a paz e fluidez em sua vida, realizam suas ações com graça, beleza e naturalidade, assim como um pintor que cria seus quadros de maneira tão natural quanto o ato de respirar.

Karma vem do sânscrito, que significa ação ou causa.  Na concepção original, a concepção karma é um ato executado pela consciência, pois cada ato coloca em si sua própria repercussão. A causa acarretará os seus efeitos. É apenas a natureza e suas leis manifestando em todos os planos e, consequentemente, toda ação gera sua reação correspondente. O karma está relacionado ao passado. A consciência pode mudar seu rumo de vida usando a mesma vontade que o levou a atos anteriores os quais geraram as repercussões que lhe perseguem agora.

O Karma é erroneamente interpretado por nós como um vilão, como se fosse um peso ou um castigo por algo que fizemos, mas a realidade é bem diferente dessa interpretação. Somos levados a essa ideia da mesma maneira que nos esquecemos do que realmente é o livre arbítrio e culpamos o destino por nossos males. O Karma na verdade é a lei que completa o conceito do Dharma.

Assim como a lei que rege suas ações, ele representa as escolhas e, através dele recebemos as consequências pelas nossas ações; não como punição, mas como um simples resultado da decisão tomada. O Karma é a lei que determina o quão afastado ou próximos estaremos do nosso Dharma, portanto, um Karma em equilíbrio, iluminado com boas escolhas, nos torna cada vez mais próximos de sua outra metade da plenitude.

O que fazer para que possamos evoluir bem espiritualmente ?

Para isso, temos que mudar o padrão de pensamento e sentimento, mudando a vibração, muda-se a condição como ensinavam os antigos hermetistas egípcios.  Isso não é fácil e demanda tempo e esforço. 

A Lei do Karma pode ser considerada como a lei da harmonia universal, aquela que preserva a unidade do universo.

Nada na vida acontece por acaso, tudo apresenta sua razão de ser, então, transforme-se, aceite a vida como ela realmente é, viva com fé, coragem, determinação, garra e, acima de tudo, paciência.

Ego

                                                                                  "O ego é exatamente o oposto do verdadeiro eu. O ego não é a pessoa."

O ego é a decepção criada pela sociedade para que as pessoas possam continuar vivendo na fantasia e nunca se perguntarem a respeito da realidade. É por isso que insisto que, se o homem não abandonar o ego, nunca vai chegar a conhecer a si mesmo. Quando nascemos, temos nosso eu autêntico. Depois, a sociedade cria um falso eu. 

Esse ego tem todos os desejos, ambições, vontades para estar sempre no topo de tudo. O homem é explorado por esse ego. E isso nunca lhe permite nem mesmo um vislumbre de seu eu autêntico, real, e sua vida está lá, em sua autenticidade. Portanto, esse ego produz apenas infelicidade, sofrimento, luta, frustração, loucura, suicídio, assassinato, todos os tipos de crime. A criança não nasce com ego.

O ego é ensinado pela sociedade, através da religião, através da cultura.  A pessoa que busca a verdade tem de começar exatamente a partir desse ponto: descartar tudo o que lhe foi dito pela sociedade em relação a quem ela é. Com certeza, ela não é nada disso, pois ninguém pode saber quem o outro é, exceto ele próprio.

Realização é simplesmente a perda do ego.  Destrua o ego pela procura da sua identidade.  Uma vez que o ego não é nenhuma entidade, ele automaticamente desaparecerá, e a realidade irá brilhar por si mesma.

Este é o método direto, enquanto todos os outros se concretizam somente através da retenção do ego"

Apenas o ego é prisão, e a sua própria natureza, livre do contágio do ego, é liberação.- Ramana Maharshi

Maya a grande ilusão 

"O mundo material é Maya"    

Maya vem da raiz sânscrita “Mâ”, que significa “medir”. O termo possui também o significado corrente de “ilusão”, “miragem” ou “mundo de aparências”. Maya é a ilusão do mundo físico; a irrealidade dos fenômenos; a miragem ou “alucinação” do mundo da manifestação. Os fenômenos sensíveis do mundo são vazios da verdadeira substância, não são reais, mas possuem apenas uma aparência de realidade.

Nesse sentido, nosso corpo e personalidades são meras ilusões de nossa percepção. A vida humana como um todo é uma ilusão. Por outro lado, ela (a vida humana) pode ser considerada como um instrumento de ascensão para uma condição mais real e menos ilusória. Ao longo do ciclo dos nascimentos e mortes, deve o homem desprender-se dessa ilusão, alcançar a luz da consciência que o libertará da prisão de maya, a infindável roda das encarnações.

Supere suas crenças limitantes

Um dos pontos essenciais em sua busca pelo autoconhecimento será identificar e superar as suas crenças limitantes que são pensamentos e interpretações considerados verdadeiros, mas que, na verdade, são falsos e impedem  sua vida de se tornar melhor.

As crenças limitantes podem impedir que você tenha mais saúde, minar os seus relacionamentos e atrapalhar sua prosperidade. Podem limitar o aprendizado de uma língua, de uma nova tecnologia, ou ser empecilho para que você siga a sua vocação. É algo tão sério que pode bloquear a sua chance de ser feliz, de ter alegria e que, em última análise, pode levá-lo a uma vida de doença e sofrimento.

Crenças Limitantes são nossos pensamentos concebidos presumidamente sobre nós mesmos e sobre o mundo, e principalmente, sobre a maneira como o universo funciona. Todos nós construímos nossa realidade baseada em nossas experiências e em como nós vimos, alteramos ou distorcemos a nossa realidade.

Um mesmo objeto pode ser visto de duas maneiras por duas diferentes pessoas. Pois, a partir de nossas experiências, carregamos uma imagem mental que reflete o que foi vivido. 

É possível criar novos caminhos dentro de nossa mente e escapar de cada uma delas. Compreender onde queremos chegar e expandir nosso potencial, abrindo mão daquilo que nos mantém no lugar e nos impede de avançar.

           

O caminho para libertação

O caminho da liberdade que nos leva à autorrealização acontece pelo serviço desinteressado. A ação desinteressada nos liberta, pois ela possibilita que deixemos de produzir reações e, consequentemente, que nos livremos dos condicionamentos, isto é, da teia do karma.

Isso só é possível quando nossa ações – o karma – e o nosso propósito – o dharma – estão alinhados.

Isso quer dizer que nossas ações devem corresponder ao que de fato viemos fazer aqui.

Quanto mais alinhadas estiverem com o propósito maior, mais efeitos positivos nossas ações causarão e mais consciência elas trarão ao planeta, pois o propósito da alma individual está diretamente ligado ao dharma e ao karma coletivos.

Em última instância, portanto, a espiritualidade é sinônimo de desapego.

Você se torna uma pessoa espiritual quando pode desapegar da história que criou para si mesmo.

Em outras palavras, quando pode abrir mão dos pactos de vingança, da necessidade de fazer justiça com as próprias mãos e das crenças que criou sobre o que é a verdade.

Como efeito natural desse processo, o propósito começa a se revelar na medida em que você se entrega ao fluxo espiritual, que é simplesmente não resistir aos comandos do coração.                                                                                  

Samadhi

O samadhi é uma expansão da consciência humana na Consciência Cósmica. Consistem em retirar a consciência humana do plano dos sentidos para dirigí-la à subconsciência, à supraconsciência, à Consciência Crística e, finalmente, ao estado de Consciência Cósmica.

O samadhi consistem em expandir os poderes dos sentidos e das percepções do corpo de tal forma que esta possa sentir os sucessos que se desenvolvem em qualquer planeta e em qualquer ponto do espaço como se fossem as sensações próprias. Em outras palavras, o estudante avançado, mediante o poder do samadhi, pode sentir o universo como se fosse seu próprio corpo.

“A verdadeira profissão do homem é encontrar seu caminho para si mesmo” – Hermann Hesse

“O sentido da vida é encontrar o seu dom. O propósito da vida é compartilhá-lo.” (Pablo Picasso)



Contato

healingalessandra@gmail.com


+41 76 341 78 23

Siga-me!

Compartilhe com seus amigos. Gratidão!